Eu tenho um monte de desculpas. Esse é um problema de muitas pessoas que querem mas não conseguem malhar. E, francamente, eles tem várias: tempo no trânsito, reuniões, dois empregos, tempo para as crianças, almoço, jantar, tempo para esposa, tempo para baladas. É tanta coisa que precisaríamos de uns três a quatro artigos nesse blog para conseguir cobrir tudo.

Não bastassem as desculpas, ainda temos o cansaço. Depois disso tudo, na hora de malhar, a pessoa já está exausta. Porém, sabemos o quanto a falta de exercícios físicos pode prejudicar uma pessoa. O que fazer?

Pensemos na agenda cheia: comecemos com doses homeopáticas!

Dada a agenda brutal da maioria dos trabalhadores de hoje em dia, não podemos pensar em um treinamento muito pesado. Portanto, devemos dividir o exercício em doses menores. A maioria das pessoas caem em padrões, e um monte de gente acha que um bom exercício significa estritamente três a quatro vezes por semana, durante 30 minutos, mas o seu corpo não está mantendo a contagem. Tudo o que realmente o seu corpo sabe é o quanto de atividade que você está realizando no total a cada semana. E aí, cortando o treinamento durante a semana para 20 minutos por dia, ou quebrando 15 minutos de manhã, 10 minutos à noite, fica cada vez mais próxima uma saúde melhor.

Mapeie e planeje cada treino

Um plano vai jogar a capacidade de malhar lá pra cima, com horários, prazos e metas. Você deve anotar o valor de treinos de um mês como uma lista de todos os exercícios que você precisa. Faça planos de evoluir para hábitos nocivos à sua saúde, como beber todos os dias. Anote como você se sente depois de cada treino, em horários diferentes, e descubra qual o horário te deixa mais enérgico.

Motivação para a malhação

Assim que você começar a malhar, verá que seu cansaço vai diminuir consideravelmente e você se sentirá mais motivado até para o trabalho. Só não deixe que isso te derrube antes de começar! (Foto: articles.chicagotribune.com)

Motivação é TUDO!

Apesar da rotina, o problema é sempre mais de motivação do que um problema de tempo. Faça um compromisso de se exercitar sobre o dia mais movimentado da semana. Uma vez que você tiver feito isso, torna-se muito mais difícil de convencer a si mesmo (e outros) que você não tem tempo para malhar durante o resto da semana. E fins de semana são críticos.

Envolva mais pessoas!

Obtenha um parceiro envolvido. Pesquisas mostram que ter um exercício em grupo, mesmo que seja apenas como suporte, pode aumentar suas chances de entrar em forma mais rápido do que tentar ir sozinho. As máquinas estão lá, e a TV pode ser transformado em uma academia virtual usando programas de fitness em DVD.

Dividir e conquistar!

Divida seus treinos pela metade, se é mais fácil. Realizando dois treinos menores que somam o seu habitual treino, por exemplo, duas rotinas de 15 minutos em vez de uma sessão de 30 minutos, ainda queima a mesma quantidade de calorias totais, além de temporariamente o seu metabolismo acelerar duas vezes em vez de uma vez, para que o seu corpo queime mais calorias após o treino.

Premie-se pelas pequenas vitórias!

Muitas vezes, as pessoas já estão fazendo as atividades cotidianas que elevam a frequência cardíaca e/ou trabalham seus músculos, o que pode ser por isso que o seu corpo se sente desmotivado para trabalhar no final do dia. Tudo, desde andar a pé para a estação de trem para transportar o seu filho pelo shopping é exercício, por isso se somam os minutos nos dias em que você está ativamente ocupado, então você pode se sentir menos culpado por se sentir cansado demais para trabalhar para fora no final do dia e ajustar seus treinos de acordo. E sempre, sempre premie-se por cada esforço que você der. Mas não faça isso com comida. Faça isso com visitas ao cinema, passeios, comprando aquele relógio que você sempre quis. Assim, você garante mesmo que seus exercícios vão para o caminho certo.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)