Você já desistiu de exercício só porque passou dos 30? Um monte de pessoas mais velhas fazem regularmente. Muitas pessoas acham que elas estão muito fora de forma, ou doentes, ou cansadas, ou simplesmente não tem mais idade para o exercício. Eles estão errados.

O exercício é quase sempre bom para as pessoas de qualquer idade. Ele pode ajudar a torná-lo mais forte, prevenir a perda óssea, melhorar o equilíbrio e coordenação, melhorar o seu humor, aumentar a sua memória e aliviar os sintomas de muitas doenças crônicas.

Com o drama que muitas pessoas fazem após os 30 anos, resolvemos listar e destruir alguns mitos comuns que deixam as pessoas mais velhas fora do exercício, mesmo que seja um pouco de drama destes “idosos” de 30 anos.

Mito: Tentar se exercitar e ficar saudável é inútil. Declínio com a idade é inevitável.

Não é verdade. Algumas pessoas na faixa dos 70, 80 e 90 estão lá fora, correndo maratonas e tornando-se fisiculturistas. Há pouco houve um homem de 60 anos que foi campeão de fisiculturismo. Muitos dos sintomas que nós associamos com a idade, tais como fraqueza e perda de equilíbrio, são realmente os sintomas de inatividade, e não a idade. Pode ser que você demore um pouco mais a ganhar músculos, mas mesmo com a demora, você irá ganhá-los!

Exercício melhora mais do que a sua saúde física. Ele também pode aumentar a memória e ajudar a prevenir a demência. E isso pode ajudá-lo a manter sua independência e seu modo de vida. Se você ficar forte e ágil com a idade, você será mais capaz de continuar fazendo as coisas que você gosta e menos propenso a precisar de ajuda.

Mito: O exercício não é seguro para mais velhos

Na verdade, estudos mostram que o exercício pode reduzir as chances de lesões. Exercício traz a força, equilíbrio e agilidade. Exercícios como o Pilates podem ser especialmente úteis para melhorar o equilíbrio. Preocupado com osteoporose e ossos fracos? Uma das melhores maneiras de fortalecê-los é com o exercício regular. Problemas na coluna por viver dentro de um escritório? Exercícios são a solução.

Idade não conta para malhar

Se ele tem mais de 60 malha, por que você que tem menos de 40 não? (Foto: articles.latimes.com)

Mito: Quanto mais velho, mais eu preciso verificar com meu médico antes de me exercitar

Se você tiver uma condição médica ou quaisquer sintomas inexplicáveis, ou você ainda não teve um físico em um longo período de tempo, verifique com seu médico antes de começar a se exercitar. Caso contrário, vá em frente. As pessoas não precisam de sempre consultar um médico antes de se exercitar só porque eles estão mais velhos. Basta ir devagar e não exagerar.

Mito: Eu estou doente, por isso não devo me exercitar

Pelo contrário, se você tem um problema crônico de saúde como a artrite, diabetes ou doenças cardíacas, o exercício é quase certamente uma boa ideia. Verifique com um médico em primeiro lugar, mas o exercício provavelmente vai ajudar. Além disso, é depois dos 30 que estas doenças tem mais chances de aparecer. O melhor remédio é a prevenção!

Mito: Eu tenho medo que eu possa ter um ataque cardíaco se me exercitar

Todos nós já ouvimos sobre pessoas que tiveram ataques cardíacos durante o exercício. Isso pode acontecer. No entanto, os muitos benefícios de saúde do exercício excedem em muito o pequeno risco. Ser uma almofada a mais no seu sofá é realmente mais perigoso do que ser fisicamente ativo. Isso é verdade para o risco de doenças cardíacas e muitas outras condições. E sério que em pleno mundo tecnológico, com 30 anos você não sabe se consultar com um médico cardiologista? Pára, vai!

Mito: Eu realmente nunca me exercitei antes e é tarde demais para fazer a diferença na minha saúde

Pode parecer demasiado tarde para reparar uma vida de não se exercitar. Isso não é absolutamente verdade. Estudos descobriram que, mesmo em pessoas em seus noventa anos vivendo em lares de idosos, a partir de uma rotina de exercícios podiam aumentar a força muscular. Isso são 60 anos de diferença de você, seu preguiçoso! Outra pesquisa mostra que a partir do exercício no final da vida ainda pode reduzir o risco de problemas de saúde. Isso realmente prova que nunca é tarde demais para começar a se exercitar e colher os benefícios.

Mito: O exercício vai prejudicar minhas articulações

Se você tem alguma dor crônica, o exercício pode parecer muito doloroso. Aqui está um fato contraditório: estudos mostram que o exercício ajuda em dores crônicas, principalmente àquelas relacionadas aos ossos, como artrite e problemas na coluna. Um estudo de pessoas com mais de 60 anos de idade com artrite do joelho descobriu que aqueles que se exercitavam mais tinham menos dor e melhorava a função articular. Pessoas que tiveram hérnias de disco puderam deixar de lado a arriscada cirurgia apenas por fazerem aulas de Pilates.

Mito: Eu não tenho tempo para o exercício

Isso é um mito que é comum em todas as faixas etárias. Os especialistas recomendam um mínimo de 150 minutos de exercício aeróbico por semana. Isso pode soar como um monte. Na verdade, é apenas um pouco mais de 20 minutos por dia. Além do mais, você não tem que fazer tudo isso de uma vez só, nem deve. Você pode dividir Por exemplo, dê uma caminhada de 10 minutos pela manhã e pedale em uma bicicleta estacionária por 15 minutos à noite. Pronto!

Mito: Eu sou muito fraco para começar a me exercitar

Talvez você se recuperou de uma doença ou cirurgia e está se sentindo muito fraco, mesmo para andar em volta do quarteirão. Talvez você só sai da cadeira a cada dia para ir ao banheiro. Se assim for, comece por aí. Decida hoje sentar e levantar de sua cadeira do escritório 10 vezes. Como você vai fazer isso mais, sua força vai aumentar e você pode definir metas mais elevadas. Tudo começa com um primeiro passo.

Definindo o corpo em qualquer idade

Até conseguir o tão sonhado tanquinho pode ser possível em qualquer idade. Saca o amiguinho da foto. (Foto: www.huffingtonpost.com)

Mito: Eu tenho alguma deficiência, por isso não posso me exercitar

A deficiência pode fazer do exercício algo desafiador, mas não há realmente nenhuma desculpa para não fazer algum tipo de exercício. Se você estiver em uma cadeira de rodas, você pode usar os braços para obter um treino aeróbico e construir a força. Mesmo as pessoas que estão acamadas podem encontrar maneiras de exercer, diz ela. Converse com um médico ou um fisioterapeuta sobre as formas que você pode modificar os exercícios para trabalhar em torno de sua deficiência. Esse é um conselho para todas as idades.

Mito: Eu não posso dar ao luxo de me exercitar porque não tenho o orçamento para participar de uma academia ou comprar equipamento.

Academias e esteiras em casa podem ser caras. Ainda assim, isso não é motivo para pular o exercício. Você pode se exercitar gratuitamente. Andar a pé não custa nada. Se você quiser levantar pesos em casa, use garrafas cheias de areia ou água. Use a sua cadeira da sala de jantar para exercícios que melhoram o equilíbrio e a flexibilidade. Se você tiver um problema de saúde, o plano de saúde pode cobrir algumas sessões com um preparador físico ou fisioterapeuta. Há muitas maneiras de entrar em forma com baixo ou nenhum custo.

Mito: Academiras são para os jovens, não para mim

A cena do ginásio pode ser intimidante para quem está ficando mais velho. Busque por academias em sua área onde há pessoas mais velhas frequentando, para você não se sentir tão mal. Encontre um ambiente onde você se sente confortável com o exercício.

Mito: O exercício é chato

Se o exercício é chato, você não está fazendo isso direito. Exercício não tem sequer que parecer como um exercício.

Lembre-se que qualquer atividade física conta. Se está passeando com um amigo enquanto você anda no shopping, ou fazendo uma aula de dança, ou brincando com seus filhos, arrumando a casa, ,tudo é atividade física. A chave é descobrir algo que você gosta de fazer e fazer isso. Quando você se cansar dele, tente algo novo. O tipo de exercício não importa pois o melhor exercício é aquele que você realmente faz.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

2 comentários para “10 Mitos sobre a musculação depois dos 30!”

  1. João Pereira

    Ótimo artigo

    Tenho 30 anos, ainda tenho chance do meu corpo desenvolver?

    Responder
    • Equipe Beleza Masculina

      Oi João,
      O que você entende por “desenvolver”?
      Se for ganhar massa muscular, a idade de 30 anos não é nenhum obstáculo!

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)