A psicoterapia consiste em uma série de técnicas para o tratamento da saúde mental, emocional e algumas doenças psiquiátricas. Ela ajuda o paciente a compreender o que os ajuda a se sentir positivos ou ansiosos, estar bem e também como aceitar os seus pontos fortes e fracos. É uma forma de ajudar as pessoas a identificar seus sentimentos de forma a lidarem melhor com dadas situações. Simplificando, a psicoterapia visa aliviar sofrimento psicológico através da fala ao invés de drogas ou outros tipos de tratamento.

Ela só funciona se uma relação de confiança pode ser construída entre o paciente e o psicoterapeuta, em conversas onde gradualmente um abre mais sua confiança ao outro mas sem estabelecer uma relação de amizade, pois não é a mesma coisa que a conversa entre amigos. O tratamento pode continuar por vários meses e até mesmo, anos. Pode ser praticado na base de um-para-um, em pares como nas terapias de casais, e até mesmo em grupos, como a terapia familiar. Geralmente, as sessões ocorrem uma vez por semana e duram uma hora.

Algumas pessoas referem-se a psicoterapia erroneamente como conversas terapêuticas, porque geralmente são baseadas em falar com o terapeuta ou grupo de pessoas com problemas semelhantes. Porém, elas também utilizam outras formas de comunicação, incluindo a escrita, arte, teatro, história narrativa ou música. Sessões acontecem dentro de um encontro estruturado entre um terapeuta qualificado e um ou mais pacientes, e este profissional tem de estar qualificado para mediar a sessão e orientar o cliente rumo a uma melhor saúde. Portanto, se você está pensando em um bate papo, esqueça disso: a terapia irá abalar todos os seus sentimentos.

O tratamento psicoterápico

Nem sempre as sessões terapêuticas serão calmas e tranquilas. Em muitas delas, você será confrontado e terá de lidar com suas reais dificuldades de adaptação. Esteja preparado para tudo, mas saiba que tudo visa melhorar a sua saúde mental. (Foto: counselor.org)

Um dos principais problemas coma  psicoterapia, de acordo com especialistas, é que o cliente deixa de vir às sessões, principalmente quando confrontado. Uma das principais causas é a interpretação errada de que o terapeuta só está lá para ouvir o paciente, o que é um mito criado pela psicanálise, uma linha de pensamento filosófica que ainda é muito utilizada no tratamento de pacientes. Porém, na maior parte do mundo e com as demandas modernas, esta terapia está cada vez mais caindo em desuso dando lugar para teorias com bases mais científicas.

Os psicólogos formados para exercer a terapia, geralmente analisam a angústia do indivíduo como resultado de problemas de relacionamento humano, e não como resultado de distúrbios ou doenças. Tal profissional, geralmente considera o contexto mais amplo das relações dentro de uma família ou no trabalho, não apenas um sintoma. Psiquiatras e médicos já tendem a tomar uma abordagem mais inclinada à prescrição de medicamentos para aliviar o stress. Esta é uma diferença entre a abordagem geral de um psicólogo e um psiquiatra. Mas nos tempos modernos, este segundo também se faz da psicoterapia como uma base para o tratamento dos indivíduos.

Muitos psicólogos comentam que abordagens médicas costumam ver a angústia como um sintoma de uma doença, da mesma forma que eles podem ver em problemas físicos sintomas de algo maios. Portanto, um psiquiatra ou talvez um neurologista ligarão o diagnóstico de, por exemplo, TOC (transtorno obsessivo-compulsivo), depressão, ou estresse pós-traumático à prescrição de medicamentos específicos, não excluindo o tratamento psicológico para tais problemas.

Muitos estudos têm demonstrado que os tratamentos mais eficazes para doenças e problemas mentais, especialmente a depressão, envolvem uma combinação de ambos: medicamentos e psicoterapia. Porém, é errado pensar que o tratamento irá mudar você e melhorar milagrosamente sua vida. O tratamento traz gradualmente coisas boas e questionamentos que farão você buscar uma melhor saúde mental. Você irá perceber que quanto mais for aos tratamentos, mais à vontade irá ficar para falar de seus problemas e descobrir a origem destes que quase nunca estão relacionados com seu pai e sua mãe, mais um mito que foi criado devido a popularidade da psicanálise.

Todos nós precisamos de algum tipo de terapia para lidar com nossos fantasmas internos. Difícil mesmo é tomar a coragem para confrontá-los. Estará você apto a este desafio?

 

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)