Le Parkour é um esporte que faz algum sucesso nos diad atuais principalmente pelos fãs de esportes radicais e filmes de ação com cenas de proezas físicas, como saltos entre prédios, manobras impossíveis e movimentos que questionam seus limites físicos. A essência do esporte, que em português significa ”o percurso”, é percorrer um espaço A até B da forma mais rápida possível, independente dos obstáculos que estão em seu caminho. Para isso, você abre mão de manobras, técnicas e movimentos que te ajudar a fluir naturalmente, preferencialmente de forma mais ou tão eficiente quanto você estivesse correndo em um lugar plano.

Existem variações do parkour, como o Freestyle Running, que admite o uso de manobras estéticas como mortais e saltos criativos. Existe também o street stunts, que usa apenas de manobras radicais e mortais, sem se preocupar em percorrer dois pontos no espaço. Independente da linha que você resolver seguir, é necessário saber onde e como começar.

Le Parkour

Logo comumente utilizado pelas grupos praticantes de Parkour pelo mundo (Fonte: Divulgação)

Você provavelmente descobriu o esporte assistindo vídeos. Como pode ter visto, os obstáculos do parkour estão espalhados pela cidade. Muros, parques, esculturas, ruas, praias, pedras. São muitas opções para prática. Provavelmente já existe algum grupo na sua cidade e eles já praticam em alguns lugares. Uma rápida pesquisa na internet te mostrará fóruns, grupos de discussão ou mesmo o site dos times de parkour e onde eles praticam. Caso não encontre ou não exista um grupo na sua cidade, procure um lugar que tenha pelo menos um corrimão, muros altos e baixos e talvez umas grades. Mesas de xadrez e ping pong, daquelas de cimento e comuns em praças mais antigas são ótimos obstáculos para treino também.

Interessante do parkour é buscar esses lugares enquanto pratica um cooper pela cidade. E a prática do parkour é altamente recomendada para que seja em grupo, pois, devido ao constante impacto e obstáculos, a chance de lesões é grande. Um amigo nessas horas é mais do que uma simples ajuda.

Encontrado um lugar, teste os obstáculos. Ande, mexa neles, conheça o ambiente. Descubra onde existe um tijolo solto ou onde a grade está enferrujada. No parquinho, veja quais brinquedos ainda estão firmes no chão e quais já estão precisando de uma reforma. Peça a prefeitura de sua cidade para tomar providências quanto a isso, incluindo o corte do gramado e mais. Ser um traceur (praticante de parkour) também significa ter responsabilidade para com o ambiente urbano. Portanto também não pense em quebrar alguns muros para fazer um obstáculo mais legal.

Manobra - Le Parkour - Speed Vault

Traceur – nome dado ao praticante de Parkour – perfomando um Speed Vault sobre um obstáculo. (Fonte: Divulgação)

Analisado o espaço e os perigos que ele oferece, é a hora de começar o alongamento. Não, você não vai começar pulando direto no primeiro dia. Esportes de alto impacto demandam muito de seu corpo. Se você se lembra do seu primeiro dia de academia, sabe o quanto os músculos doem após um dia pesado. Mas numa academia você escolhe o grupo de músculos que vai doer no dia seguinte. No parkour, como você usa todos os músculos, não existe opções. E acredite em mim, quando você não alongar, no dia seguinte você não consegue nem andar direito.

Seu treino total vai durar, em média, 90 minutos, sendo 30 deles inteiramente dedicados ao alongamento. Este deve começar com o alongamento estático: movimentos parados que esticam e esquentam os músculos de seu corpo. No youtube e muitos outros sites tem vários exemplos de alongamento. Pegue pelo menos um para cada parte de seu corpo, desde a cabeça até os pés. Estique cada parte por pelo menos 19 segundos. É chato, mas faz a diferença, inclusive para previnir lesões.

Alongamento em aula de Parkour

Um bom alongamento é a parte mais importante em um treino de Parkour. (Fonte: Australian Parkour Association)

Depois, parta para o alongamento dinâmico. São movimentos rápidos e que simulam posiçõed que você utilizará enquanto estiver praticando parkour. 15 a 20 repetições de cada movimento são recomendados. Use estes como pré-aquecimento.

Alongamento feito, dedique pelo menos 15 minutos do seu treino para aquecimento. Neste momento, você prepara seu organismo para atingir um ritmo cardíaco ideal, adquire uma cadência respiratória apropriada para a rotina do parkour e é o momento onde você pratica técnicas de corrida para conseguir manter um ritmo constante e não alterar demais o seu fluir nos obstáculos. Comece sempre caminhando e gradualmente aumentando sua velocidade. Quando começar a correr, alterne entre momentos de sprint e corrida normal. Se possível, faça isso subindo e descendo morros. Ouça bem os seus passos. Se você estiver fazendo muito barulho, você não está amortecendo bem o impacto e, consequentemente, poderá sofrer sérias lesões quando estiver nas manobras de maior impacto. Descubra técnicas de corrida que te ajudem a poupar energia, pois você irá precisar para os próximos passos. O barefoot running pode ser uma opção para fortalecimento muscular e preparar sua musculatura para os impactos do Parkour.

Cinco elementos formam a base da pirâmide para todas as manobras de parkour: preparo físico, amortecimento, equilíbrio, repetição e disciplina.

O preparo físico pode estar em seus 45 minutos dedicados ao alongamento e aquecimento, desde que essa prática repita-se no mínimo 3 vezes por semana. Em qualquer outro caso, complemente o parkour com uma academia, aulas de pilates ou outros esportes que te agradem.

O amortecimento deve ser treinado em todos os dias de treinamento. Pule de pequenas alturas e ouça o barulho de sua queda. Se você faz muito barulho, você está fazendo errado. Use as ”bolinhas” da parte dianteira da sola do seu pé para amortecer os impactos. Nunca, em hipótese alguma, deixe seu calcanhar encostar no chão:dói. Muito. O rolamento, também essencial para amortecer quedas e manter o fluir dos movimentos, deve também fazer parte de sua rotina. Busque vídeos no youtube ou peça ajuda a amigos que praticam artes marciais. Repita os movimentos na grama ou em colchões. Seja paciente pois um bom amortecimento se adquire com tempo e muita prática.

O treinamento do equilíbrio já é uma técnica de parkour chamada balance. Nela você tem de se equilibrar andando sobre um corrimão, muros ou paralelepídos. Não tente lugares muito altos de começo. Comece tentando ficar em pé parado. Dê alguns passos e descubra que o maior trabalho no equilíbrio fica para braços e tronco. Um bom posicionamento do seu pé também ajuda para encontrar o centro de equilíbrio.

Repita todos os movimentos muitas vezes. A prática te levará a perfeição.

Finalmente, tenha disciplina com o treino, respeitando seus limites e seu cansaço. A filosofia do parkour é te ensinar a questionar seus obstáculos e buscar maneiras diferentes de ultrapassá-los, conhecendo cada vez mais seu corpo e do que você é capaz. Nesta parte, também incluo o bom senso da utilização de um tênis com amortecimento adequado e equipamentos que julgar necessário, como luvas (caso queira proteger suas mãos), calça (para proteger as canelas) e munhequeiras (proteger os pulsos e evitar que o suor atrapalhe sua capacidade de agarrar obstáculos).

Dito isso, segue abaixo as manobras básicas para os primeiros treinos de parkour:

LANDING/DISMOUNT

Esta manobra é o amortecimento comum. Perceba como o traceur dobra as pernas gradualmente ao cair e faz com que funcionem como uma mola, impulsionando-o para cima e aproveitando o movimento. Perceba também como ele não encosta os calcanhares no chão. Essa estratégia serve para não deixar o impacto sobrecarregar as articulações. O mesmo vale para quando você estiver descendo de um obstáculo.

ROLL/DIVING ROLL

É o rolamento básico. Em ambos os vídeos, o grau de dificuldade já está um pouco elevado. No primeiro, o traceur salta de um obstáculo para fazer o rolamento. No segundo, utiliza de um obstáculo. Para o iniciante, o certo é utilizar uma superfície macia em local plano, aperfeiçoando a técnica e gradualmente aumentando o grau de dificuldade.

BALANCE/CAT BALANCE

Ambas manobras servem para a prática do equilíbrio. Você perceberá com o tempo que tudo se baseia em trabalho de tronco e mudança do centro de gravidade. Além disso, são ótimos exercícios para fortalecimento muscular. Caso queira tentar logo no começo o Cat Balance, comece por superfícies inclinadas, pois facilitará com que trabalhe o posicionamento do corpo para atingir o balanço correto entre força, posicionamento e distribuição de peso.

CRANE/CRANE STEP

Quando utilizamos os dois pés juntos para saltar em um obstáculo, dependemos muito de nossos braços e tronco para o equilíbrio. Aos saltar com um pé só, estes tornam-se menos necessários, mas o impacto contra a superfície pode ser maior. Pior, se você não dobrar seu joelho para reduzir o impacto, há a série possibilidade de uma lesão. O Crane e o Crane Step são técnicas que previnem lesões, melhoram o fluir dos movimentos e ajudam a amortecer impactos contra superfícies de obstáculos. É importante perceber como o pé que não é colocado sobre o obstáculo impede que a perna bata na parede.

CAT LEAP

Saltar e agarrar um obstáculo. Simples assim, mas necessário aperfeiçoamento para evitar bater os joelhos contra a parede.

PRECISION

Primeira premissa dessa técnica: não comece praticando este salto de precisão em locais altos. Comece o mais rente ao chão possível, preferencialmente entre paralelepípedos. Uma queda no precision de lugares mais altos pode ser FATAL, pois você pode bater sua cabeça. Em segundo lugar, NUNCA amorteça o impacto com o meio da planta dos pés ou o calcanhar. Mire amortecer com a parte frontal dos pés, as “bolinhas”. Fazendo isso, você terá maior equilíbrio, diminuirá o impacto e poderá se recuperar facilmente de qualquer erro cometido durante o salto. Terceiro: repeite muito as regras acima. O precision é um dos maiores motivos de lesões entre praticantes de parkour. E uma pancada na canela, por menor que seja, dói muito.

WALL HOP/WALL RUN

Movimento clássico de filmes de ação. Note que no segundo vídeo, ele utiliza o pé direito para impulsioná-lo para cima e a mão direita para agarrar primeiro no obstáculo. Faça o mesmo, utilizando o pé de impulso e a mão do mesmo lado para conseguir executar a manobra.

VAULTS

Todos os vaults são variações de um movimento com o mesmo propósito: saltar um obstáculo. Não existe um melhor ou pior. De acordo com seu biotipo, existirão alguns movimentos mais fáceis e outros mais difíceis. Cabe a você decidir quais vaults irá usar em um percurso. Abaixo seguem os tipos mais comuns de vaults.

Speed Vault

Dash Vault

Kong/Monkey Vault

Diving Kong

Double Kong Vault

Kash Vault

Lazy Vault

Reverse Vault

Turn Vault

Underbar

Tic Tac

 

Pratique cada um desses movimentos separadamente. Não tente fazer todos no mesmo dia no começo. Separe quais você irá praticar cada dia da semana.
Para finalizar seu treinamento, é importante fazer um desaquecimento para colocar seu corpo no ritmo certo para voltar para casa e não ficar cheio de dores no dia seguinte. Comece fazendo uma corrida de 5 a 10 minutos e vá diminuindo gradualmente sua velocidade. Quando começar a caminhar, faça o alongamento dinâmico e logo depois, o alongamento estático. Você está prevenindo o acúmulo de ácido lático e, consequentemente, dores musculares. Chegue em casa e tome um banho para limpar as toxinas que você expeliu pelo suor da pele.

Entre um a dois meses de treinamento disciplinado, planeje um pequeno percurso que envolva mais de uma manobra. Observe o caminho a percorrer. Verifique o quão fluido foram seus movimentos. Escute seu amortecimento. Controle sua respiração e respire apenas pela boca. Aumente a quantidade de percursos por semana à medida em que sentir-se mais seguro e preparado.

O Parkour pode ser considerado uma arte marcial, devido a toda a filosofia que está envolvida com o esporte. O Freerunning, é uma arte, que envolve fazer seu percurso mais bonito com manobras pouco práticas ao percurso mas visualmente bonitas. É lógico que existem muitas outras manobras não citadas neste artigo. Só escrevi aqui as mais básicas e necessárias para um bom traceur. Para incrementar seu repertório, pesquise em vídeos, sites especializados ou busque a ajuda de amigos que já praticam. A cooperação, seja ela online ou física, é algo inerente e necessário para qualquer esporte.

Por fim, não tente pular prédios ou casas, peça a autorização para utilizar espaços privados, conheça seus limites. Já me lesionei por ter ido além do que conseguia e já tive problemas pelo uso de espaço privado sem autorização. Tendo isso em mente, acredito que você tem tudo para ser um bom traceur.

Boa “parkourzada” pessoal!

 

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

2 comentários para “Le Parkour: onde e como praticar? Manobras em vídeo!”

  1. Bruno Trajano

    Ajudou muito
    Vou começar a praticar

    Responder
  2. Junior

    Obrigado pelas dicas, nem sabia por onde começar.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)