São mais e mais homens de passam, no decorrer de um relacionamento, de “Senhor Bonzinho” para “Marido dos Infernos”. Nós, homens, com certeza já sentimos isso em nossos relacionamentos. O que acontece conosco para que cheguemos nesses extremos? O que gostamos e odiamos em uma mulher para nos deixar desse jeito?

Para as mulheres, nossas mudanças de humor podem ser rápidas. Relatos como “Ele está com raiva, acusando, argumentativo e culpando em um momento e, no momento seguinte, ele me compra flores e cartões, e deixa-me notas de amor” são comuns entre mulheres que frequentam terapeutas.

Você consegue reconhecer suas mudanças de humor, e elas até parecem justificadas para você. Na sua cabeça, parece que todo mundo que estava perto de você, especialmente sua companheira, está fazendo algo para te irritar. No entanto, lá no fundo, estamos é confusos e com medo de que sejamos capazes de sentir o amor intenso seguido de raiva intensa, com muito pouca provocação.

Às vezes, nos sentimos como loucos. Em outras vezes, nos sentimos frustrados com nossa companheira e nossa vida, em um sentimento estranho quando não conseguimos definir o que gostamos ou odiamos em uma mulher. A verdade é que os homens amam e odeiam as mulheres ao mesmo tempo e em igual medida, não sendo este um ódio ou amor específico a uma característica ou outra. A maioria dos homens precisa desesperadamente mulheres e a maioria dos homens rejeita essa necessidade de condução, um tanto indigna e perigosa.

Relacionamentos

Brigamos, discutimos, fazemos birra. Tudo porque temos dificuldade em conversar e chegar a um consenso. Mas ao abrir espaço para o diálogo, o entendimento, a vida se tornar mais simples. (Foto: www.river1037.com)

Isso é verdade em culturas antigas e modernas, ao redor de todo mundo. Em todos os lugares e em todos os tempos, há uma tendência para que os homens temam e odeiem as mulheres.

Obviamente, isto não é o caso de todos os homens. Embora essa ambivalência aconteça em todas as sociedades, os homens diferem no grau em que isso os afeta. Para alguns de nós, o medo e a raiva são extremos. Para outros, controlamos bem esses sentimentos e ele fogem do controle somente em tempos de mudança e estresse.

Esta dinâmica sentimental está enraizada na dependência exclusiva dos homens sobre as mulheres. Na maioria das culturas, os homens dependem de suas mães e, mais tarde, de suas esposas, para a preparação de alimentos, cuidados domésticos, apoio emocional e carinho. Ele também lembram que em todas as culturas e em todos os tempos, os homens são dependentes de mulheres para acasalar com eles, carregar uma criança dentro de seu corpo, dar à luz ao bebê, e alimentar e cuidar da criança até que ele ou ela seja capaz de viver de forma independente. Mais tarde na vida, nós dependemos de nossas esposas para a continuidade.

Entendendo você mesmo

A chave para um relacionamento equilibrado está mais envolvida com o auto-conhecimento do que o conhecimento do outro. (Foto: h3sean.com)

Quanto mais somos dependentes das mulheres, mais a nossa carência gera amor e ódio. Nós as amamos pelo que elas podem nos dar, mas também estamos assustados com o grau de nossa dependência. Você pode sentir, em um período particularmente estressante da vida, um intenso desejo de subir para os braços da sua mulher e querer tê-la segurá-la para sempre. Mesmo o pensamento é aterrorizante. Você sente que se ceder à tentação, nunca sairá novamente. Você sente que regrediria ao nível de uma criança e perderia sua masculinidade para sempre.

À medida que envelhecemos e precisamos de mais segurança, amor e apoio, também nos ressentimos das pessoas das quais somos dependentes para atender às nossas necessidades. A maioria das mulheres tem vários amigos e parentes a quem elas se voltam para satisfazer as suas necessidades de amor, segurança e estima. Os homens muitas vezes têm apenas uma pessoa para quem nos voltamos para, normalmente nossas esposas ou companheiras. Sob essas circunstâncias, nós temos uma tendência de amor e ódio a elas

A solução, para nós homens, é parar de direcionar nosso ódio e gosto para uma coisa específica das mulheres e buscar ter conexões mais íntimas em nossas vidas. Uma terapia pode te ajudar a conseguir se mostrar mais para as mulheres, entender melhor o que não combina com você e o que combina, algo completamente diferente do gostar e não gostar de algo. Adapte-se ao novo momento e assim, evolua como um novo homem.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)