É cada vez mais comuns homens vivendo com os pais depois dos 30. Alguns, por conta de divórcio. Outros, devido a condições financeiras. Existem até aqueles que estão nesta situação por opção.

Não pense que você está errado, estagnado ou com algum problema psicológico devido a isso. O Brasil é um país latino e como todo país latino, seu núcleo familiar é muito forte. Se você for para os EUA ou Canadá verá que é muito comum para os adolescentes aos 18 anos saírem de casa e dividir aluguel com amigos. Mas lá, aluguel é mais barato e você começar em qualquer emprego ganhando relativamente bem. Esse conservadorismo brasileiro tem seu lado ruim e seu lado bom.

Vamos supor que você acabou de passar por um divórcio. Independente do quão durão você for, é uma situação delicada e que te deixa vulnerável. Estar perto da família nestas horas é a chave para alimentar sua auto estima e o tempo que precisa para reestruturar sua vida e seus sonhos.

Relações familiares saudáveis

Morar com os pais pode ser um pesadelo ou uma das coisas mais agradáveis a se fazer. Tudo depende de como você irá administrar a situação. (Fonte: spryliving.com)

Se você está em casa devido a sua condição financeira, você pode começar a poupar e investir em um apartamento para você, comprar um carro, móveis. Tudo parar estruturar sua saída de casa e ter um pouco mais de liberdade.

Agora, se você está nessa situação por opção, as possibilidades são das mais variadas. Você pode pegar a grana extra do fim do mês e investir, comprar terrenos, apartamentos, ações na bolsa de valores, um carro novo. É importante não ter que depender financeiramente de seus pais, pois assim você será um incômodo.

Para todos os casos existem regras, deveres e direitos que são iguais e devem ser deixados claros aos seus pais. Quais são eles?

  • As contas: se você mora no lugar, tem de ajudar nas contas. Pegue uma conta inteira e pague ou divida os gastos com seus pais. Caso a situação financeira não esteja muito legal, converse com eles e não fique parado, vá procurar um emprego. Assim eles entenderão a situação mais ainda e estarão observando e admirando seus esforços.
  • Os limites: tenha seu quarto, seu espaço e respeite o dos outros. Converse com seus pais sobre bater na porta antes de entrar, se há problemas em fazer festa ou churrascos na casa ou mesmo trazer uma namorada/ficante. Se sua família tem um horário fixo de almoço como tradição, respeite isso e vá almoçar na hora certa. Além de ser importante uma rotina, o almoço pode ser aquele momento de compartilhar e interagir. Outra coisa importante aqui é se você for daqueles que troca o dia pela noite. Se você tiver um carro ou alguma coisa que todo mundo quer usar, avise para que peçam primeiro antes de fazerem uso.
  • A rotina: famílias tem maior tendência a rotinas repetitivas. Isso talvez possa ser chato e frustrante para alguns. Mas se você estiver insatisfeito, precisa mudar suas atitudes e correr atrás de uma situação melhor. Planeje seu futuro, corra atrás de uma situação melhor, estruture sua vida. Quem reclama demais e não faz nada para mudar isso nunca vai ser uma pessoa melhor.
  • As compras: todos nós sabemos daquele home theater mega poderoso que você tanto gosta e aquela tela de plasma gigantesca. Se for para colocar em seu quarto, ok. Mas se for para comprar coisas para sua casa, converse com a família antes. Eles tem gostos diferentes dos seus e podem ter também boas sugestões.
Limites em casa

Limite qualquer bagunça e desorganização para seu quarto. Se sua família tem uma empregada, organize com ela os dias e horários que ela pode limpá-lo. Ou você mesmo se organize para limpar. Nunca sobrecarrega sua mãe ou pai com coisas sob sua responsabilidade. (Fonte: guardian.co.uk)

  • O convívio: a vida familiar é delicada. São várias personalidades convivendo e se aturando. Se você não conversa sobre o que te incomoda ou não sabe ouvir, em breve suas relações familiares estarão comprometidas. Ficar velho nos ensina que muitas coisas que nossos pais falavam estava certa e vivemos para comprovar isso. Fale isso para eles e demonstre seu carinho e afeto sempre que possível. Quanto mais saudável a relação, melhor o ambiente de convívio.
  • A saída de casa: o tempo passou e você conseguiu se estruturar para finalmente ir para seu apartamento. Prepare seus pais para a mudança. Não os abandone e faça ligações semanais ou mesmo diárias no começo. Mantenha as bases do que focê construiu durante o tempo morando com eles. Ouça os conselhos valiosos desses momentos. Faça as pazes com seu irmão e nunca saia de casa por ter brigado ou estar brigado com alguém. Seja bem resolvido para não acumular problemas e inimizades em seu futuro.

Seja consciente de suas decisões. Para mim, morar sozinho melhorou e muito a qualidade de minha interação com meus pais e meu irmão. Este, por sinal, ainda mora com minha mãe e não quer se mudar. Para alguns isto funciona bem, para outros não. Pense sempre que um dia, talvez, você precise voltar para casa. Ter as portas abertas e o sorriso de seus familiares ao te receber será o diferencial entre uma convivência saudável a uma sofrida e desgastante.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Um comentário para “Dicas para quem mora com os pais depois dos 30”

  1. Allyson

    Simplesmente… ÓTima matéria, parabéns.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)