Morar juntos ou casar. Dois lados de uma mesma moeda. E um dos maiores desafios que qualquer pessoa vai enfrentar em um relacionamento. Não é apenas uma questão de aprender a conviver com os defeitos da outra pessoa ou talvez passar a dividir as contas. “Juntar” e casar são comprometimentos e como tal, dedicação é o apenas o primeiro passo para fazer dar certo, além de outros importantes passos a serem seguidos que garantem a redução dos conflitos, brigas e a separação.

Morar juntos: dicas para a decisão

Enquanto muitos casais ainda optam por esperar até o casamento para morar juntos, ele não é mais a norma hoje em dia. Morar juntos antes de casar pode ainda ser um teste essencial para provar que é realmente isso que vocês querem para o relacionamento. Morar juntos pode fortalecer a parceria entre o casal, tirando quaisquer dúvidas sobre o casamento. Ou pode também começar a colocar um certo peso sobre a relação, é claro.

Se você estiver namorando alguém sério, compartilhar o mesmo teto faz muito sentido depois de algum tempo de relacionamento. Quando você vive em uma cidade grande, onde o aluguel é caro e o mercado imobiliário é complicado para encontrar um bom lugar para ficar, a escolha de juntar se torna um pouco mais simples. É algo que os dois lados tem que concordar, no entanto.

Existem casais que tem esse ponto do relacionamento com 6 meses, casais que tem essa com 1 ano, casais que não chegam a esse ponto no relacionamento. O que não significa que é algo ruim também, pois nos tempos de hoje, é comum ter relacionamentos duradouros e estáveis com o casal morando em casas separadas.

 

Como morar juntos

A vida de um casal morando junto é uma delícia, desde que comece por um total respeito mútuo e uma total cumplicidade entre as duas partes. (Foto: blog.inspirefcu.org)

Morar junto ou casar? Dicas para não se precipitar

Para muitos, porém, a questão não pode envolve apenas a cumplicidade, respeito, carinho e amor por uma pessoa. Não pode envolver apenas o sonho de formar uma família, de “juntar as trouxas”. Porque como um amigo costumava dizer, todo sonho de casamento é destruído depois da primeira pilha de vasilha suja na pia da cozinha.

O que ele e eu queremos dizer é que não adianta apenas querer se juntar. O casal tem que responder perguntas simples, tais como:

  • Como as tarefas da casa serão divididas?
  • Como as contas serão divididas? Meio a meio? Cada um paga sua parte?
  • E se alguém ficar desempregado, como ficarão as contas da casa?
  • Quais são os planos para o futuro do casal: filhos? Comprar um imóvel próprio? Mudar de cidade?
  • O casal pretende ter bichinhos de estimação? Quais?
  • Quando uma pessoa no casal fizer algo que você não gosta, como vocês pretendem resolver?

Essas são apenas algumas das perguntas importantes. Faça elas e responda antes que elas fiquem acumuladas, se tornem uma bola de neve e acabem com seu “juntamento” ou casamento.

Morar junto com o namorado ou namorada: seja o mais aberto possível

Apresente suas expectativas logo de cara. Quais são as suas expectativas inegociáveis quando se trata de compartilhar um espaço com alguém? Quais são as rotinas diárias e normas de estilo de vida que você vai precisar acomodar? Se você e seu parceiro sabem o que esperar, a transição para morar juntos será muito mais suave. Por exemplo, pode ser que você goste de assistir futebol com os amigos em casa toda semana, e tem muita namorada que pode não gosta disso. Deixando claro antes de juntar ou casar é evitado o conflito.

Mas assim que você colocar suas expectativas na mesa, é hora do diálogo. Se você pode assistir aos jogos com os amigos, então ela também pode chamar as amigas para fazer sessões de filmes em casa. Se for um apartamento ou casa pequena, pode ser necessário negociar os dias para que não haja conflitos no uso da televisão. O que nos leva ao ponto mais importante de morar junto

Quero morar com meu namorado ou namorada: comunique-se sempre!

A comunicação é crucial para manter um lar feliz e livre de estresse. O que você precisa quando você está estressado é falar com o outro o que você está sentindo. É também ir além da comunicação verbal, passando para a comunicação corporal, visual, por gestos. Isso significa também não usar o mesmo moletom por 5 dias seguidos. Afinal, que mensagem você passará para seu par com isso?

Trabalhe para cultivar os momentos juntos, e fazer esses momentos valerem cada dia mais. Transforme as tarefas domésticas em algo divertido, que o casal vai aproveitar sem qualquer estresse. Tudo isso começa pela simples e direta comunicação.

 

Morar junto ou casar: respeite a individualidade do outro

Você já viveu a situação de um casal de amigos que casou e sumiu do mapa. Ou aquele casal em que um dos dois tenta controlar o outro. O fato é que isso é doentio e não dá certo.

Relacionamentos simbióticos, onde não há indivíduos mas só uma entidade, estão fadados ao fracasso. É extremamente importante o comprometimento ao respeito individual, ao espaço individual.

Isso significa deixar sua namorada, esposa, noiva, noivo, marido, namorado, sair com os amigos e amigas. Significa deixá-los terem seu espaço na casa e seus momentos sozinhos. Se eles gostam de jogar videogame sozinhos, por exemplo, deixe eles jogarem por horas a fio. Esse respeito é o que diferencia um casal que se manterá por anos a fio daquele que terá conflitos constantes por um estar desrespeitando o espaço do outro.

Cada um tem seu tempo para decidir sobre morar junto ou casar

 

O fato é: não há uma fórmula que decida quando é a hora certa de juntar a trouxas ou casar. Mas há como se preparar melhor para esse momento, respeitando seu parceiro e tornando o relacionamento uma oportunidade de crescimento para o casal. Quanto mais vocês se dedicarem, conversarem, melhor será para os dois.

Se vocês precisam de alguma ajuda, tem alguma dúvida, ou querem apenas algum conselho, sintam-se à vontade de deixarem suas perguntas nos comentários. Estamos aqui para ajudar!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)