Todo mundo adora TV. O problema é que a maioria dos programas de televisão são só medianos, sem muito a acrescentar, principalmente depois que grandes como House já acabaram. Se você quer fugir do BBB e do feminismo exacerbado de Sex and the City não tema, porque há um punhado de bons seriados lá fora, que existem como uma espécie de oásis no deserto dos condenados, uma ilha neste mar de péssimos programas, e com toda a qualidade que um bom homem merece!

Sons of Anarchy

Uma gangue de motoqueiros que luta contra a lei, outros motociclistas e uns aos outros vivendo, essencialmente, Medo e Delírio em Las Vegas em uma gangue de motoqueiros. Se você precisa de mais do que isso, eu acho que você pode dizer que é um interessante olhar para as pessoas que vivem à margem da sociedade, vivendo a única maneira que podem para sobreviver, bandidos que vivem por um código fora da lei. Mas, realmente, é um bando de motociclistas do mal fazendo arruaça. O que mais você precisa? Ron Perlman de Hellboy, desempenha o papel motociclista alfa e é tão durão que ele provavelmente faria seu amado Chuck Norris sentar quando ele for ao toalete.

Eastbound and Down

Uma ex-estrela de beisebol e degenerado Kenny Powers cai de volta à Terra e tenta forjar um retorno, enquanto se reconecta com sua namorada da escola, seus amigos  e família, usando todas as drogas e mulheres que encontrar pelo caminho. É engraçado as participações especiais características de Will Ferrell como um vendedor de carros com uma propensão para a degeneração criminal, Don Johnson como o pai caloteiro e uma série de outras atuações engraçadas. Mas, realmente, isso é tudo secundário para a magnificência de Danny McBride como Kenny Powers. É um desempenho que é ridículo e verdadeiro, em partes iguais, jogando com todos os estereótipos da classe pobre branco que existe nos EUA e, ao mesmo tempo, capturando perfeitamente a loucura delirante do astro de escola que nunca cresceu.

Sons of Anarchy

Este seriado é uma grande homenagem ao estilo dos fora da lei e principalmente, uma obra de arte para amantes de motocicletas. (Foto: www.fanpop.com)

The Walking Dead

Um grupo de sobreviventes maltrapilhos tentam sobreviver vida após um apocalipse zumbi. Quem não gosta de uma história de zumbi? Especialmente uma que é tão crua como esta é. É tensoa é violenta, e sua escrita é de alto nível. Realmente, na sua essência, The Walking Dead é um show sobre a natureza humana e sobre a linha tênue que separa a civilização de nossos impulsos mais básicos. Ele faz perguntas sobre as pessoas e o que eles vão fazer quando as situações estão no limite e que são todas muito relevantes em um mundo que sempre parece que está prestes a acabar. Ele também mostra zumbis correndo para comer pessoas e levando tiros, flechadas, granadas e outras espécies de mortes cinematográficas: não vamos perder de vista essa verdade fundamental.

Justified

Raylan Givens é provavelmente o maior fodão na TV agora. Mas, além disso, o show é preenchido com um elenco de personagens cativantes, bons e ruins – bem, principalmente ruins – cuja mudança lealdades e fidelidades fazem do show o que é. Basicamente, todo personagem da série já foi baleado pelo menos uma vez. Estas são as pessoas que não levam desaforos para casa e se isso significa que eles tem que ficar uma espingarda em seu rosto, então que assim seja. É um bang bang do século 21 rico em metanfetamina.

The Walking Dead

Nada como um bom seriado sobre zumbis para fazer seu dia mais feliz! (Foto: www.fanpop.com)

Breaking Bad

O professor de Química Walter White é diagnosticado com câncer de pulmão e manda o resto do mundo para o inferno, se virando para fazer e vender metanfetamina para que o futuro financeiro de sua família possa ser assegurado antes de morrer. Este seriado leva você para o coração e a alma de um bom homem que decide ser mal e depois, pára para fazer perguntas sobre o que o bem e o mal realmente significam. Nenhum outro programa é tão atraente quando se trata de nossas idéias modernas sobre a moralidade e sobre o que o homem vai fazer quando ele não tem mais nada pelo que valha realmente viver. Ele terá que torcer por psicopatas completos e sociopatas e depois perguntar o que diabos está de errado com você. Mas, talvez mais do que qualquer outro programa na televisão, é um show que viaja ao coração escuro do sonho americano e depois descasca suas pálpebras e faz você ver o horror, completamente nu, que é a verdade desse sonho. É inteligente, é louco, é incrível e vai deixar você odiando a si mesmo e querendo mais.

Game of Thrones

O poder está em jogo no reino de Westeros, onde várias famílias disputam o poder em uma série de rixas banhadas em sangue, sexo e batalhas, ao mesmo tempo que um poder obscuro e misterioso aparece no Norte cheio de neve que ameaça destruir tudo da humanidade. É basicamente uma versão adulta de O Senhor dos Anéis, só que com anões manipulativos e muitas prostitutas no lugar das elfas, uma coleção de durões e degenerados que matam tudo que se move. Ele apresenta a luta épica e sangrenta de Coração Valente e combina com as conspirações de Os Sopranos. Seu personagem melhor e mais convincente é um anão deformado cuja própria família o odeia, mas é o melhor entre todos que estão vivos. É um show em que você acaba torcendo para os personagens que você costumava odiar e um show em que qualquer coisa pode acontecer. Sangue, mulheres nuas e muitas reviravoltas. Além de claro, épicas batalhas medievais.

Mad Men

É um programa sobre os ensaios e atribulações de uma agência de publicidade em Nova York em 1960, centrada em torno de um determinado homem, Don Draper, um mulherengo enigmático que também é um gênio maldito quando se trata de publicidade. É um show sobre a sua viagem, a partir de um garoto da fazenda para um macho alfa de Nova Iorque. Fora de todos os shows desta lista, este foi o único cujo enredo foi o mais difícil de descrever. E isso porque seu enredo é uma ambiciosa desconstrução de tudo o que há para mitificar sobre a América e o sonho americano. Don Draper é por turnos super-cool, completamente irritante, incognoscível e completamente fascinante. Mad Men pode ser extremamente magnética e fascinante. Ela capta perfeitamente o olhar e a sensação de um dos momentos mais interessantes da história americana. Mas, além disso, é um show que parece transcender a ideia de um “filme de época” e fala de quem somos como pessoas em um nível mais amplo, o que somos e que ainda podemos ser. É um show que as pessoas lutam para discutir de uma forma significativa, porque é simplesmente muito bom. Os temas são muito grandes, os personagens muito sedutores. No final, tudo o que você pode fazer é prestar atenção e deixar-se levar para o mundo de Mad Men.

Mad Men

Além de ser um macho alfa, o personagem principal de Mad Men nos dá uma aula de como ter estilo. E lógico, fazer sucesso com as mulheres. (Foto: www.jewishjournal.com)

Californication

Hank Moody (David Duchovny, o Agente Mulder de Arquivo X) é um romancista conturbado que se muda para a Califórnia e sofre de bloqueio de criatividade, o que complica seu relacionamento com sua namorada Karen (Natascha McElhone) e sua filha Becca (Madeleine Martin). Ele culpa seu bloqueio criativo de longa data sobre razões que vão desde o hedonismo de Los Angeles para a partida de sua namorada Karen. Hank constantemente lida com as conseqüências de sua incapacidade de dizer “não” às drogas, sexo e álcool durante a tentativa de mostrar a sua família que ele pode ser um bom pai, responsável e cuidadoso para com Becca e um parceiro monogâmico com Karen. Muito sexo, drogas, festas e mulheres, além de um personagem em conflito consigo mesmo por sua vida bon vivant. Coroe isto com a brilhante interpretação dos atores e um brilhante roteiro e temos um dos melhores seriados da televisão atualmente.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)