Estamos na era das opiniões. Todo mundo tem o que falar: tecnologia, sociedade, educação, política, religião, futebol. Tudo é passível de críticas e elogios.
A internet e sua vasta oferta de informações proporciona um suporte ímpar neste cenário. Blindados por telas de computador onde nos tornamos imunes aos ataques alheios, ao invés de optar por elogiar o que gostamos, criticamos o que odiamos. O que está acontecendo?

Como seres humanos, queremos sempre o melhor. No ambiente competitivo atual, é nosso único meio de sobrevivência. Não somos ensinados a cooperar nem a criar críticas construtivas. Estamos constantemente insatisfeitos com nossos resultados e o produto do trabalho dos outros. Podemos até acreditar que estamos certos. A verdade é que esta insatisfação gera cada vez mais tristeza, angústia e o afastamento de todos que gostamos. Em alguns casos, estamos até felizes com o que temos. Porém, nossa ambição, a vontade de ter mais e melhor pode demonstrar que você está insatisfeito para as pessoas que conhece.

Críticas desnecessárias

A pessoa que é crítica, tem uma opinião formada sobre tudo, opina sobre tudo e raramente reconhece estar errado. Cuidado: nem todo mundo quer sua opinião e você nem sempre é o dono da verdade. (Fonte: leadershipfreak.wordpress.com)

Não é difícil parar, regular ou melhorar suas críticas. Temos aqui uma questão de bom senso: até onde as críticas são saudáveis? Se tudo que você faz ou quem te acompanha pode melhorar drasticamente, existe algum problema em sua vida. Pode ser algo psicológico, algum problema pessoal ou algum resultado de escolhas erradas. Visualize o lado de quem recebe suas críticas e responda estas perguntas: qual o propósito da crítica? Ela me guia diretamente para a melhora? Existe uma forma melhor de falar isso para pessoa? Estarei eu em um dia de stress?

Nunca paramos para pensar no que o outro lado está sentindo. Nem mesmo tentamos compreender o que se passa em nossas cabeças e coração. As críticas tem apenas um lado. O diálogo, tem vários. Neste, tanto o criticado quanto o crítico tem participação ativa. Ninguém fica vulnerável ou chateado.

Todo ser humano é diferente. Para cada um deles, elogiis e críticas tem que ser dados de forma diferente. Se você acha que tem algo que sua namorada pode melhorar em alguma coisa, ao invés de cobrar dela, por que não conversar com ela? Dar uma contrapartida, como mudar algo especialmente pra ela. Faça com que ela entenda como e por que aquilo te incomoda. Se tudo que ela faz te incomoda, desista da namorada e viva menos crítico. Se não, passe a tentar fazer elogios sobre o que você gosta ao invés de enfatizar tanto o que você odeia. A postura que ela assumirá será completamente diferente.

Elogios em ambiente social

Um elogio em público faz toda a diferença. Você melhora a auto estima da pessoa, cria um ambiente sociável e agradável e mostra que é capaz de reconhecer os esforços por elas feitos. Críticas devem ser evitadas e só devem ser feitas quando o outro for orientado sobre como e o que tem de melhorar, em espaço privado e nunca em público. (Fonte: eversonclever.blogspot.com)

O criticismo não é errado. Em excesso, sim. Preste mais atenção na sua vida e na qualidade de suas relações sociais. Talvez seja a hora de repensar suas escolhas e ser mais autocrítico, ao invés de jogar suas frustrações nos outros. Converse com amigos, peça a opinião deles. Pense como se você fosse alguém que convive contigo. Você gostaria da sua própria companhia? Com essas dicas, esperamos que sua qualidade de vida melhore bastante.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)