A criolipólise se refere ao uso dispositivo médico usado para destruir as células de gordura. Seu princípio se baseiam no resfriamento controlado não-invasivo para a redução local de depósitos de gordura e remodelar os contornos do corpo. A exposição ao resfriamento é definida de modo que cause a morte das células de tecido adiposo subcutâneo, sem prejuízo aparente para a pele sobrejacente. O procedimento é anunciado como uma alternativa não-cirúrgica para a lipoaspiração.

Procedimentos de lipólise tentam “dissolver” as células de gordura por meios não-cirúrgicos. Um número de métodos tem sido tentado, incluindo o uso de laser, ultra-sons, e correntes rf. A paniculite é uma condição dermatológica que mostra que a exposição a baixas temperaturas pode danificar seletivamente a gordura subcutânea, deixando a pele intacta. Baseado nesta premissa, as células de gordura são mais facilmente danificadas por arrefecimento do que as células da pele, resultando no desenvolvimento da criolipólise com a aplicação a baixas temperaturas para o tecido por meio de condução térmica. A fim de evitar a congelação, um nível específico de temperatura e exposição é determinada.

Embora o processo não seja completamente compreendido, parece que que o tecido adiposo que é arrefecido abaixo da temperatura corporal mas acima da temperatura de congelamento sofre morte celular localizada, seguida de uma resposta inflamatória local, um local de paniculite que, gradualmente, ao longo do decurso de vários meses, resulta numa redução da camada de tecido adiposo.

O primeiro estudo humano apareceu em 2009. Resultados foram reportados após a técnica ter sido aplicada  em uma única sessão para 10 pacientes, cada paciente sendo o seu próprio controle. Uma sessão demora menos de uma hora e não requer anestesia. Com um único tratamento, as cobaias tiveram uma redução de 20% após dois meses e redução de 25% em seis meses na camada de gordura, avaliada por ultra-som. O efeito lipolítico do tratamento ocorre dentro de dois a quatro meses.

Efeitos da criolipólise

Na foto, um paciente que foi tratado em um dos lados da barriga com a criolipólise, mostrando resultados positivos. (Foto: scientifit.com)

 

O procedimento aparenta ser mais eficiente para limitadas e discretas protuberâncias de gordura. Com o pequeno número de pacientes tratados, os dados clínicos permanecem escassos, portanto, não é conhecido o tempo que o efeito do tratamento vai durar ou quando e se os tratamentos posteriores seriam necessários para manter o resultado .

Dados de efeitos colaterais são baseados em experiências limitadas. Vermelhidão local transitória, hematomas e dormência da pele são efeitos colaterais comuns do tratamento e devem diminuir com o tempo. Normalmente déficits sensoriais vão diminuir dentro de um mês. O efeito sobre os nervos periféricos foi investigado e não conseguiu mostrar permanentes resultados prejudiciais. Não há sérios efeitos colaterais de longa duração encontrados durante o tempo de acompanhamento de 6 meses. Cicatrizes, ulcerações, ou mudanças de lípidos no sangue ou no fígado funções não foram relatadas.

É um método relativamente seguro, quando feito no acompanhamento de um profissional renomado na área e quando for realizado em conjunto a outras ações para o emagrecimento, como a prática de exercícios físicos e uma melhor alimentação.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)